sábado, 28 de junho de 2008

Vento

O vento carrega consigo tudo

Inclusive as almas e as vidas

Arranca das mãos da mãe o bebê

Que chorava por já conhecer o seu destino

E deixa também a mãe chorando

Para que mais tarde possa vir e carregá-la junto a si.

Não deixará jamais os dois separados

Pois sua natureza não é a maldade

Cumpre apenas a sua função

De acalmar e apassivar os impacientes

E de buscar as vidas e as almas

Daqueles que, na verdade, já as perderam.



[solitude_]

6 comentários:

*Raíssa disse...

O vento carrega tudo mesmo, inclusive meus pensamentos. Por isso, os jogo "ao vento", para que outras pessoas possam pegá-los e se aproveitar de suas idéias de forma positiva em sua vida.

Belo texto!

Beijos

Secoelho disse...

O vento carrega almas...Eu discordo! Vidas talvez, mas almas? Eu não consigo entender esse raciocínio!

Secoelho disse...

Eu acho que o meu comentário anterior foi muito antipático!

Depois de reler o texto, mil idéias surgiram na minha cabeça...Principalmente com relação aos últimos versos. Eu não gosto de falar muito sobre as minha interpretações, pois geralmente elas são estranhas e viajantes. Mas quero aproveitar para dizer que foi uma bela poesia ;]

Secoelho disse...

Como assim tu não entendeu a crítica?

Secoelho disse...

Ah, é que, geralmente, quando um jornalista vai falar sobre cultura ele faz uma crítica, tipo crítica de cinema, de música, de literatura etc. Eu resolvi que vou virar crítica de Boi XD

Secoelho disse...

hauahauahauaa
sou não pow!