sexta-feira, 14 de agosto de 2009

canibalismo marítimo ou o amante do mar de carne

teu corpo
é o mar onde
me deleito: calmo,
íntimo, longínquo –
flui: um tapete azul
que se estende
ao infinito.
suavemente,
cada parte
minha
se entrega
ao teu toque:
as tuas águas
me envolvem –
me afogo e
por fim
somos um só.
e não destaco
o meu corpo
do teu: busco
em ti o ar
que me é essencial
à vida, na tua
carne o alimento
da minha.

2 comentários:

Gabie disse...

Tenso, intenso, intenso, intenso e erótico. Lindo.

Jéssica Mendes disse...

Cara, muito lindo isso aê.