quarta-feira, 6 de maio de 2009

Insônia

Caixa de espelhos e azul infindo
Céu de ladrilhos, chão de barro molhado
E a lua, pálida, desfalece pendurada.

Ruídos hediondos e figuras monstruosas
Assovios e cantos e berros ressoam nessa madrugada
E eu, deitado, em minha cama, só.

Pausa poética - alívio:

Resisto ao sono...

5 comentários:

Diessika disse...

:D
resiste ao sono pq fico de perturbando na madrugada!
=D

beijo, rô

Elis A. Martins disse...

Olha, insônia psicodélica, gostei disso. rsr (brincadeira)




=]

todocarnavaltemseufim disse...

resisto ao sono [2]

TéoMalvine. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
TéoMalvine. disse...

Resisto ao sono todas as noites por puro prazer, mas a insônia parece interessante o quanto lida, é claro... Prefiro textos deste tipo, deve ter percebido. Gostei bastante desse. Gosto de textos curtos... Pessando no contrário disto, agradeço o post n'Os Salvadores Deste Lugar... Ainda não comentei, mas prometo que vou. Abraço cara.